Penitência [conto]

OUVERTURE: Théo não queria matar Júnior, foi um acidente. 1° Ato: Negação A cabeça do Carlos na privada e o Nelson e o Pedro rindo em volta com Théo gritando vai virar homem! na escola é assim mesmo com a cabeça de Carlos na privada e Théo, Pedro e Nelson gritando que ele nunca mais… Continuar lendo Penitência [conto]

Família Pereira [conto]

Foi um dia duro de trabalho. A obra estava atrasada, e todo o peso dos prazos perdidos incidia na equipe de assentadores de piso. José estava com as costas doloridas de ficar abaixado martelando, delicadamente, cerâmica o dia inteiro. Duas horas de trabalho = dez minutos de descanso. Meia hora para o almoço. Dez horas… Continuar lendo Família Pereira [conto]

O passo e a linha [conto]

1° Ato: Anderson, de 19 anos, leva um tiro na perna. O jovem tinha ido comprar, para curtir o fim de semana com os amigos, maconha e pó numa favela da zona oeste, e a polícia apareceu de surpresa numa batida quando ele estava de saída. Durante a troca de tiros uma bala, sabe-se lá… Continuar lendo O passo e a linha [conto]

Bem-vindo à selva [conto]

São meia dúzia de pessoas formando um círculo num canto da praça. No meio um homem fala como se estivesse encenando um monólogo, gesticulando e andando de um lado para o outro. ……..servindo um monte de gente da qual a enorme maioria não tem educação para falar bom dia ou obrigado…….oito horas por dia………..não……..doze horas… Continuar lendo Bem-vindo à selva [conto]

Cordeiro pastando em campo aberto [conto]

Meu Deus absolutamente não liga para o que eu faço. Ele reservou meu lugar no céu dos justos, crédulos e fiéis, e Se esqueceu da minha existência para aguardar ansiosamente minha chegada. Independente do que eu faça, ou não, até o dia do nosso encontro, uma festa embalada por Jimi Hendrix e Janis Joplins vai… Continuar lendo Cordeiro pastando em campo aberto [conto]

Seis [conto]

João, 32 anos, pintor (de parede, não do tipo artista, ou sim, uma vez pegou um enrosco pra fazer. Uma república de estudantes, pintaram qualquer vestígio de branco com frases tipo o que pode o corpo?, o corpo é uma prisão, corpo é corpo, enfim, o João foi lá, lixou tudo na unha porque a… Continuar lendo Seis [conto]

Queimando no inferno [conto]

O mundo caia em água e Miguel estava na esquina, com um papelão na cabeça e se molhando embaixo de um toldo rasgado. O opalão parou. Ele correu levemente pela calçada e entrou no carro. “Sabia que você não ia falhar.” O maior medo de Miguel não era o que ia acontecer naquela noite, mas… Continuar lendo Queimando no inferno [conto]

O matadouro [conto]

Minha perna estava quebrada. Tinha certeza que estava quebrada. Doía desgraçadamente como dói uma perna quebrada. Mas não arredei o pé. Dei dois tiros, tomei um comprimido de anfetamina com vodka e voltei pronto para continuar até o fim. Faltavam quatro. O filho da puta soltou a carcaça lá de cima do túnel, e a… Continuar lendo O matadouro [conto]

Rato condicionado perdido no labirinto de Skinner [conto]

Acordei de novo. Não lembro do que aconteceu ontem a noite. Não faz muita diferença. Não gosto de lembrar muito das coisas. Lembranças podem arruinar uma vida inteira em busca de porquês. Também não lembro de onde vem as dores, tenho a impressão que elas sempre tiveram aqui. Sempre soube que é muito mais fácil… Continuar lendo Rato condicionado perdido no labirinto de Skinner [conto]

O fim do mês e a conta na mercearia [conto]

A vida para Eliana parecia ser bastante simples. Ela acordava às 5h, chegava no centro de telemarketing unificado às 8h, saía às 11h para o almoço, que terminava meio dia. Às 17h estava liberada para voltar ao lar, onde chegava às 19:30. Seu trabalho não exigia muito. Atender o telefone, respostas no caderno ao lado… Continuar lendo O fim do mês e a conta na mercearia [conto]

The good times [conto]

A imagem que surge na tela como um estalo mostra um relógio de dar corda marcando sete horas da manhã e despertando estridentemente. No fundo a parede vermelha está descascando. Uma mão bate no pino que interrompi o ruído de bom dia. Começa a tocar uma batida de tempo no fundo. A mesma mão pega… Continuar lendo The good times [conto]

Depois da merda no ventilador [conto]

[Dona Gertrudes - 53 anos - Dona de Casa] Quando virei para a segunda rampa eu vi os dois lá em cima, se esfregando encostados no canto da grade. Mas ainda não sabia o que eles estavam fazendo. Foi quando fui chegando perto e escutando o barulho que percebi o que estava acontecendo. Foi horrível.… Continuar lendo Depois da merda no ventilador [conto]

Os freelancers [conto]

O cara usava um terno azul, com gravata vermelha, mocassins e gel no cabelo, como se fosse o próprio Vincent Vega. As diferenças iam do Chevette velho que ele dirigia até o fato que ele não estava num estúdio em Los Angeles, além de que o que tocava no rádio era Thiaguinho e não Kool… Continuar lendo Os freelancers [conto]

O estupro [conto]

Era uma daquelas festas open bar de bebida de primeira, onde todo mundo está aberto a tudo e a fim de tudo. Num sítio longe da cidade, com música alta e gente bonita. César tinha chegado acompanhado, mas Maria teve que sair no meio da alegria porque não estava se sentindo bem. Na verdade ela… Continuar lendo O estupro [conto]

A luta de Peito de Aço contra o destino implacável [conto]

Existe, por parte da maioria das pessoas, um senso de que tudo tem que ser justo. Mas numa luta de boxe tailandês, no porão do velho Big Dog, justiça era um conceito bem vago. Para o Mão Pesada tinha vindo com o Conselho Tutelar e o Abrigo de Menores do Estado. Enquanto ele surrava o… Continuar lendo A luta de Peito de Aço contra o destino implacável [conto]