Uma imensidão de nada no meio do deserto de lugar nenhum [conto]

Devo ser uma daquelas almas rejeitadas no céu e no inferno que foram mandadas para um lugar pior: a minha vida. Meu corpo doía em partes que achei que não existissem mais. Num reflexo debilitado chutei alguma coisa. A filha do Jaime ainda estava deitada do meu lado. “Por que você é assim?” “Porque não… Continuar lendo Uma imensidão de nada no meio do deserto de lugar nenhum [conto]

Superhero, jelly and flying double kick [tale]

Translation | Eder Capobianco Antimidia It was nearly midnight and the uproar is formed in the middle of the square. The crowd was arranged in circle crowding together and screaming for blood. Two guys exchanged kicking and punching as if it was a duel until the death, but without a lady for the winner. Neb… Continuar lendo Superhero, jelly and flying double kick [tale]

The dream is over again [conto]

Não sei como nem porque chegaram até mim, mas vi pelo olho mágico que tem um homem fardado com uma pasta preta na mão na minha porta, que deve estar querendo saber um monte de coisas que fiz e não lembro. Ou pior. Ele sabe o que fiz, e eu não. Enquanto isso estou no… Continuar lendo The dream is over again [conto]

Manhãs de 2002 [conto]

Acordei às cinco e meia da manhã. Isto não é hora de gente acordar, é madrugada, ainda esta escuro. Concordo que algumas pessoas acordem esta hora, como, por exemplo, meu avô, que levanta esta hora porque gosta. Ele limpa a gaiola dos passarinhos, joga água no jardim e faz um monte de outras coisas, que… Continuar lendo Manhãs de 2002 [conto]

Um encontro com Glinda [conto]

Acordar nunca é o melhor momento do dia. A primeira onda de culpa por toda uma existência desperdiçada vem em forma de dores e um cheiro forte de velhice. Não há nenhum sinal de que tenha chegado em casa acompanhado ontem a noite, o que, devido ao histórico, não é algo a se lamentar. Dizem… Continuar lendo Um encontro com Glinda [conto]

Crise psicológica permanente [conto]

Quando se tem vinte e poucos anos ver o sol nascer, bêbado e chapado na rua em plena segunda-feira, significa: “eu sou feliz e você não.” Porque o mundo inteiro pode ser dividido em dois: aqueles que são felizes e demonstram isso e aqueles que são rancorosos e enchem o saco. E o Pancada não… Continuar lendo Crise psicológica permanente [conto]