Felicidade para cretinos e desesperados esquecidos por Deus [conto]

Seu Antenor havia mudado para o prédio fazia menos de duas semanas. Os longos anos a frente da seção de compras da prefeitura eram passado, e agora suas responsabilidades não iam além de regar algumas plantas pela manhã. Era um simpático e jovial Senhor querendo curtir a vida. Já era amigo do zelador, conhecia o… Continuar lendo Felicidade para cretinos e desesperados esquecidos por Deus [conto]

Gafanhoto tonto e as tigresas famintas [conto]

Aquele era um tempo onde as pessoas não tinham medo de sair na chuva e sujar suas botas de barro e andar na lama. Os homens ainda podiam carregar sua segurança no coldre, e senhoras distintas não frequentavam ambientes noturnos. Não existia assistência social, e os bêbados exerciam livremente seu direito humanitário de viver como… Continuar lendo Gafanhoto tonto e as tigresas famintas [conto]

Roqui e Muguissi em: ratos sujos [conto]

Acordei com a cabeça latejando. Meu cérebro pulsava. Devia ter ido a um hospital. Devia ter feito isso há uns dez anos. Não passei do sofá da sala. Estacionei lá até o telefone tocar pouco antes do meio dia. “Tenho outro trabalho para você!” Antigamente as pessoas falavam “alô” ou “bom dia”. Nos dias de… Continuar lendo Roqui e Muguissi em: ratos sujos [conto]

Diário de bordo do capitão cérebro frito [conto]

[12/07/1997 – 16:34] Se símbolo da inteligência é o caracol o Prego estava personificando a inteligência do mundo jogado num canto enrolado em si mesmo todo molhado. Estou sentado neste colchão há não sei quanto tempo. Detrás do balcão da cozinha o Pelé preparava mais uma dose de chá. O cheiro foi tomando conta da… Continuar lendo Diário de bordo do capitão cérebro frito [conto]

Formigas trabalhando em nome do amor [conto]

Carlos chegou na frente da porta e tocou a campainha. Ninguém atendeu. Então ele tirou uma chave da maleta, colocou na fechadura, girou, e entrou. Era uma pequena sala, bem montada, com um bar e bastante garrafas. Se serviu de uma boa dose de whiskey, colocou um envelope em cima da mesa, acendeu um cigarro,… Continuar lendo Formigas trabalhando em nome do amor [conto]

All Star #37 [conto]

Se andasse armado me mataria ao menos dez vezes por dia. A primeira seria logo ao acordar. Qualquer um que já teve 17 anos sabe o quão difícil é encarar a escola as vezes. Não aguento mais ver a Ana Paula namorando aquele cretino do Toni. Também esta ficando complicado aceitar o fato de que… Continuar lendo All Star #37 [conto]

Expurgo [conto]

Edgard era inofensivo. Sofreu Bullying na escola desde o pré-primario. Não tinha nenhum tipo de ambição ou futuro. Sabia pouco ou quase nada sobre qualquer coisa. Um verdadeiro idiota. Teve só duas mulheres na vida. Uma ele pagou e outra estava bêbada o suficiente para não perceber que ele tinha broxado. Nunca começou ou terminou… Continuar lendo Expurgo [conto]

Cão que não ladra, morde [conto]

Os dias vão se passando. Iguais e repetidamente. Até que acontece alguma coisa que muda tudo. Então não dá mais para voltar atrás. Para Walter este momento foi quando entrou no escritório do Dr. Parede. Era uma sala velha, com o carpete surrado e livros empoeirados. Ele estava no telefone recomendando para uma cliente que… Continuar lendo Cão que não ladra, morde [conto]

Barata tonta passeando pelo jardim [conto]

Entrei no bar quietinho. Torcendo para não ser visto. Não lembrava muito sobre a noite passada, e não queria ser lembrado. O Jaime estava colaborando comigo. Me viu chegando e parando no canto da parede com o balcão. Sem fazer alarde se aproximou com um copo de água. “Isso é tudo que você vai beber… Continuar lendo Barata tonta passeando pelo jardim [conto]

Palatins [conto]

Um dia as pessoas se questionavam se existiria vida em outro planeta, hoje talvez algumas achem que seria melhor se não existisse mesmo. Primeiro porque a raça humana é tida como um vírus, segundo que nada desse lugar interessa para nenhum tipo de vida. A cultura é descartável, a matéria prima de péssima qualidade e… Continuar lendo Palatins [conto]

Fatos Cotidianos 12 – Junkie de sorte [conto]

Eram quase meio dia quando o telefone tocou. Acordar com o telefone tocando já é sinal de um dia ruim. Se já tem alguém te procurando é por que por algum motivo você já tinha que estar de pé. Não era raro ser acordado atrasado. Quando não ligavam para avisá-lo que era bom que levantasse… Continuar lendo Fatos Cotidianos 12 – Junkie de sorte [conto]

Fatos Cotidianos 5 – Promiscuidades [conto]

Sexo é a melhor moeda de troca do mundo. Tudo gira em torno de uma boa trepada. Se você transa com sua chefe uma vez, vira o queridinho. Se o ato se consuma novamente, recebe um aumento. E se acontece com freqüência, tipo duas vezes por semana, lindo! Você vai ser promovido. Adauto descobriu isso… Continuar lendo Fatos Cotidianos 5 – Promiscuidades [conto]

As últimas 24h de Vitória [conto]

Sempre que Vitória sentava na sua mesa, e colocava aquela tiara com fone de ouvidos e microfone, se sentia um lixo. Trabalhar com telemarketing não era a profissão com qual sonhava para o auge de seus vinte anos. Naqueles primeiros minutos, enquanto esperava o computador logar, pensava que o suicídio não era uma hipótese a… Continuar lendo As últimas 24h de Vitória [conto]

Fatos Cotidianos 17 – A vida dói [conto]

  Não sei qual o dia da semana. Não faz diferença desde que a dor de cabeça passe. Nem é motivo suficiente para sair da cama. Será que existe um mundo sem dores? Um lugar onde todo pecado fica impune. Ficar me martirizando pela noite de ontem e os últimos trinta anos, ou pela garota… Continuar lendo Fatos Cotidianos 17 – A vida dói [conto]

A nobre arte de fazer dinheiro [conto]

Para Mariana sair do trabalho era como fugir de uma senzala ou escapar de uma prisão. Mais do que quebrar as correntes, era o mais perto da liberdade que alguém podia chegar. Esta sensação não durava muito tempo, porque em alguns minutos ela estava chegando na faculdade. E de novo aquela dívida com o mundo,… Continuar lendo A nobre arte de fazer dinheiro [conto]

Quem procura acha [conto]

E vinham todos andando em fila. As pessoas abriam passagem pela calçada. E vinham todos com as pesadas caixas de madeira na mão. E ninguém sabia o que tinha dentro delas. Saiam todos de um buraco de esgoto. Eram dezenas de pessoas andando uma atrás da outra, com uma caixa de madeira, tipo estas de… Continuar lendo Quem procura acha [conto]

O álcool e a salvação [conto]

Acordei de um sonho estranho. Deus me mandava procurar uma garçonete no Milk Mellow e dizer para ela me ajudar a parar de beber. Fiquei meio assustado. Ele nunca tinha falado diretamente comigo antes. Algo me dizia que tinha aprontado uma das grandes na noite anterior. Me senti compelido a ir na lanchonete cumprir Sua… Continuar lendo O álcool e a salvação [conto]

Com a palavra, André… [conto]

Não existe. Ninguém “chega lá” fazendo a coisa certa. Tem que ter uma “mutreta” no meio. Como dizem os empresários: “O Brasil pune quem é honesto e tem sucesso”. Aqui é assim, para ser rico tem que ser filho da puta. Sonegação de impostos, contrabando, adulterações, são básicos. Qualquer curso de economia ou administração ensina:… Continuar lendo Com a palavra, André… [conto]

Deixe a vida florescer e não entre em pânico [conto]

Abri os olhos ainda na dúvida: que parte do que aconteceu ontem era só um pesadelo? Notei a filha do Jaime do meu lado e conclui que o sonho já havia acabado muito antes do John Lennon. Mas as dores tinham ficado. Eram reais. Pelo corpo todo. Partes que nunca havia notado a existência latejavam.… Continuar lendo Deixe a vida florescer e não entre em pânico [conto]

Toda felicidade da tristeza [conto]

Aguinaldo era um cara estranho. Ele tinha três pernas e dois umbigos. Elas eram paralelas, e a do meio que fazia o apoio para as outras duas darem o passo. Estava em casa muito bem acompanhado de duas garrafas de vinho e meia de rum. Projetava um filme mudo numa parede mofada e ouvia Bach… Continuar lendo Toda felicidade da tristeza [conto]

Dias de glória [conto]

[7:30] - Acordar e querer continuar dormindo. [7:35] - Aceitar a existência, levantar para higiene pessoal. [7:45] - Estar no segundo lance de escada do prédio correndo. [7:58] - Pegar ônibus que passa a três quarteirões de casa, já lotado. [8:37] - Trocar de ônibus, este esturricado. [9:32] - Chegar na editora e bater o… Continuar lendo Dias de glória [conto]

Dupla dinâmica e uma noite de sexta [conto]

Um vírus e um parasita vinham caminhando madrugada adentro pela Domingos de Moraes. Não tinham mais de quinze mangos juntando os dois bolsos. Não estavam indo para lugar nenhum. Passaram por algo que parecia ser um pequeno prédio comercial e viram uma escada com uma luz vermelha fraca acesa lá em cima. Já haviam perdido… Continuar lendo Dupla dinâmica e uma noite de sexta [conto]

Fatos Cotidianos 33 – Uma noite qualquer no paraíso [conto]

Um corpo cambaleante entrou no bar. Dois passos adentro e todos olhavam com repugnância. Além da aparência degradante, um cheiro azedo tomou conta do lugar. O aroma apontava para um ser estranho indo na direção do balcão. Pereba parou na bancada e olhou para o lado. “Vocês me parecem um bando de merda.” Todo mundo… Continuar lendo Fatos Cotidianos 33 – Uma noite qualquer no paraíso [conto]

Oposição silenciosa [conto]

Ele levantou da mesa e saiu correndo por entre as pessoas. Um zunido passou pela sua direita e acertou o vidro de uma loja. “Atiraram em mim porra! Estão atirando em mim no meio da rua!” Quando olhou pelos seus ombros identificou duas pessoas correndo atrás dele, e viu o informante caído no chão sangrando… Continuar lendo Oposição silenciosa [conto]

Projeto de bem coletivo [conto]

Ricardo vinha se arrastando pela avenida. Com movimentos repentinos desviava de um, do outro, do poste. Passou pelo sensor da porta, depois a catraca elétrica, ponto eletrônico. Estava sentado no seu cubículo antes mesmo que alguém tivesse chance de lhe desejar bom dia. Ligou o computador, afastou a cadeira e olhou para fileira de divisórias.… Continuar lendo Projeto de bem coletivo [conto]

Jogando as esperanças para debaixo do tapete [conto]

Saí da fábrica eram dez e qualquer coisa da noite. Depois de quarenta anos apertando parafuso numa metalúrgica não se tem muito mais a esperar da vida. O tempo parece andar cada vez mais devagar. Penso na morte quase como um final feliz. Isso não muda o fato de que cada dia o parafuso fica… Continuar lendo Jogando as esperanças para debaixo do tapete [conto]

Ovelhas sem rebanho num mundo sem cordeiros [conto]

Érica entrou no bar depois de uma porrada na porta. Todo mundo olhou na sua direção. “Voltei Jaime!” Ele estava de costas mexendo em umas garrafas. Viu tudo pelo espelho e não escondeu sua expressão de “que merda!”. Ela foi até o balcão e sacou uma nota de cem. “Me dá uma garrafa forte e… Continuar lendo Ovelhas sem rebanho num mundo sem cordeiros [conto]

Rolando na bosta [conto]

Estou num hospital. Tomando alguma coisa na veia. Aonde eu estava antes? Na casa......Quarto coletivo. Tem uns dois dormindo do lado de lá. Talvez se conseguir levantar alguma enfermeira venha ver o que esta acontecendo. Não parece ser tão simples quanto deveria. Não tem botão nenhum aqui. Estou fraco. Droga! “Hey!” Falar é outra forma… Continuar lendo Rolando na bosta [conto]

O jornal, o caipira e a bosta voadora [conto]

Entrei no bar como fiz diariamente nos últimos cinco anos. Hoje em especial estava com uma caganeira que me fodia de hora em hora. O Jaime oferecia a cerveja mais barata da cidade, e o banheiro mais tosco. “Hey Jaime! Me empresta um rolo de papel higiênico?” “Você nunca precisou disso.” “Seu verme sujo!” Levantei… Continuar lendo O jornal, o caipira e a bosta voadora [conto]

Fato Cotidiano 8 – Lidando com o Fracasso [conto]

Não lhe restava muita coisa. Ao chegar em casa molhado não teria roupa seca limpa para vestir. Não tinha motivos para continuar indo para lá. Afinal, aquele cortiço não era exatamente um lugar aonde alguém queira ir. Parou em baixo de um toldo e ficou tentando acender um cigarro meio molhado. O toldo não resistia… Continuar lendo Fato Cotidiano 8 – Lidando com o Fracasso [conto]