Dando duro [conto]

Dona Denise acordou meia hora antes de toda a casa. Levantou com cuidado para não acordar ninguém, foi até a padaria e voltou com quatro pãezinhos. Enquanto passava o café escutou o despertador de Seu Carlos tocar e o chuveiro do banheiro começar a chiar. Com o café pronto ela foi acordar o Guilherme e… Continuar lendo Dando duro [conto]

O ciclo [conto]

Nasci para carregar caixas. É o que sei fazer melhor. O trabalho que sempre gostei de fazer. Percorro longas distâncias em pouco tempo. Proporciono segurança. Consigo suportar grandes pesos e intensas cargas de trabalho. Carrego caixa com a mesma eficiência no sol e na chuva. Sou bom mesmo nisso. Penso na hora de empilhar. Leio… Continuar lendo O ciclo [conto]

Besouro rola-bosta de barriga para cima [conto]

Todo dia quando acordo parece que um ônibus escolar cheio de pirralhos mimados me atingiu em cheio. O zumbido agudo e atormentador na minha cabeça são eles rindo e fazendo chacotas da minha carcaça. Maldito mundo meritocrático de bosta. Não mereço isso Senhor. Leve para longe de mim essa pivetada guardiã da moral e dos… Continuar lendo Besouro rola-bosta de barriga para cima [conto]

O futuro vindo depois da curva [conto]

A merda toda tá acontecendo. Este momento de espera é uma bosta. Tem gente que nessas horas fica pensando em como tem o pinto pequeno, que a amante tá metendo com outro que tem um pinto gigante, que se a receita tiver poder de polícia fudeu, ou qualquer outra merda que resuma a existência a… Continuar lendo O futuro vindo depois da curva [conto]

Mosca morta em movimento linear uniforme [conto]

Droga. Minha vida continua. As marcas na cara dizem que alguém tentou dar cabo dela ontem a noite. As dores no corpo gritam que tento fazer isso faz tempo, e nem isso eu consigo. Mas ao menos cada dia estou mais perto. O sangue no vômito é uma prova incontestável. Não consigo achar motivos para… Continuar lendo Mosca morta em movimento linear uniforme [conto]

Cão que não ladra, morde [conto]

Os dias vão se passando. Iguais e repetidamente. Até que acontece alguma coisa que muda tudo. Então não dá mais para voltar atrás. Para Walter este momento foi quando entrou no escritório do Dr. Parede. Era uma sala velha, com o carpete surrado e livros empoeirados. Ele estava no telefone recomendando para uma cliente que… Continuar lendo Cão que não ladra, morde [conto]

As últimas 24h de Vitória [conto]

Sempre que Vitória sentava na sua mesa, e colocava aquela tiara com fone de ouvidos e microfone, se sentia um lixo. Trabalhar com telemarketing não era a profissão com qual sonhava para o auge de seus vinte anos. Naqueles primeiros minutos, enquanto esperava o computador logar, pensava que o suicídio não era uma hipótese a… Continuar lendo As últimas 24h de Vitória [conto]